"Milhares de pensamentos passam em nossas mentes todos os dias, todos os segundos. O mundo gira, a vida passa, nada para! Presenciamos coisas, fazemos escolhas, formamos opiniões. Poemas e versos se fazem sem que percebamos, então vamos concretizar os pensamentos! A liberdade de falar nem sempre nos é dada, ou mesmo que dada, nem sempre nos convém falar. Bem-vindos ao meu mundo. Falemos o que pensamos!"







quarta-feira, 1 de setembro de 2010

E agora José?



E agora, José?
A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José?
e agora, você?
você que é sem nome,
que zomba dos outros,
você que faz versos,
que ama protesta,
e agora, José?

Está sem mulher,
está sem discurso,
está sem carinho,
já não pode beber,
já não pode fumar,
cuspir já não pode,
a noite esfriou,
o dia não veio,
o bonde não veio,
o riso não veio,
não veio a utopia
e tudo acabou
e tudo fugiu
e tudo mofou,
e agora, José?

E agora, José?
Sua doce palavra,
seu instante de febre,
sua gula e jejum,
sua biblioteca,
sua lavra de ouro,
seu terno de vidro,
sua incoerência,
seu ódio - e agora?

Com a chave na mão
quer abrir a porta,
não existe porta;
quer morrer no mar,
mas o mar secou;
quer ir para Minas,
Minas não há mais.
José, e agora?

Se você gritasse,
se você gemesse,
se você tocasse
a valsa vienense,
se você dormisse,
se você cansasse,
se você morresse…
Mas você não morre,
você é duro, José!

Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede nua
para se encostar,
sem cavalo preto
que fuja a galope,
você marcha, José!
José, pra onde?
 
Carlos Drummond de Andrade

9 comentários:

Ramos disse...

José, José... eeeee josé UAHUAHUAHUA

Amanda Arrais disse...

Adoro essa poesia do Carlos Drummond e em situações aflitantes sempre pergunto: E agora, José?
Virou hábito.

Quando ao texto de baixo, só fui ler agora porque tenho andado sem tempo. E, como tu, adoro ler palavras passadas, ver as datas e lembrar pra quem foram escritas. Pequenos detalhes nos fazem sempre mais feliz!

Boa semana, Dani. =**

Atreyu disse...

chamou o Carlos Drû o post só podia ser bom, neah? MASSA

Kamy disse...

Obrigada pelo comentário, flor. Obrigada por ter tido a paciência de ler meu longo texto.

Sobre a poesia de Carlos Drummond de Andrade, eu gosto dela. Muito. Mas eu tenho um problema com poesias, nunca consigo saber o que elas de fato querem dizer. Sinto-me assim em relação a essa... O que será que quer dizer com: "e agora, josé?" Talvez ele deva ter de tomar uma atitude rápida e não sabe qual... Eu nunca entendi.

Um beijo grande!

Kátia disse...

Eu simplesmente AMO e sou MEGAFÃ de Carlos Drummond de Andrade.
Adorei! Beijoo!

Cacheada disse...

deixa eu dizer da minha vergonhaaaaaaa...
eu nunca tinha ouvido todo esse poema, eu sempre ouvia o trecho..
"e agora josé"
MAs n sabia de onde vinha...
vc hj deu cultura p alguém...
Sempre você com esse papel de me ajudar a conhecer ;)

Brunno Lopez disse...

E agora baby?

O frio chegou e eu só tenho tenho os esquis para passar o inverno.

Dani Brito disse...

Ramos - Ê José, Ê Maria...

Amanda - Eu tbm gosto. Fiquei conhecendo na sexta série através de uma professora de português.
Eu também...guardo tudo o que me pode servir de lembranças...boas é claro!

Atreyu - O cara é demais né?

Kamy - Não tem por onde! Flor, eu interpreto como se ele estivesse muito desanimado, sem saídas, sem ninguém, sem rumo, porém sempre caminhando...

Katita - Não sou megafã mas tudo que é poesia me agrada...rs

Jujuba - Adoro a sua sinceridade...rs...ta vendo, por isso sou sua irmã mais velha! rs

Brunno - E agora ? Esquie...

Beijos pessoinhas lindas. Obrigada por virem
=)

Natalya Nunes disse...

Vez ou outra eu me pego imitando Drummond e dizendo: "E agora, José?"

Related Posts with Thumbnails